O futuro das indústrias criativas e dos media: resumo da segunda edição da CREIMA International School

Este ano, a CREIMA International School foi recebida pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, entre os dias 19 e 21 de setembro. Uma edição que trouxe ao Porto especialistas de diversos países para, em conjunto com os alunos, discutirem temas relacionados com as indústrias criativas, os media, a publicidade e o jornalismo.

Primeiro dia: a inovação, a criatividade e os negócios digitais em destaque

O primeiro dia da CREIMA 2018 arrancou com a intervenção do coordenador do projeto PIMENED, que também é professor da Universidade do Porto e presidente da International Media Management Academic Association, Paulo Faustino, que aproveitou a sessão de boas-vindas para destacar o papel do curso enquanto um importante momento de partilha de conhecimento, que concede aos alunos a oportunidade de trabalhar e dialogar com diversos especialistas nacionais e internacionais.

O presidente do Conselho do Google Fund e da Associação Portuguesa de Imprensa, João Palmeiro, foi o primeiro orador convidado. A comunicação “Media, Innovation, Creative Industries and Digital Business Models” conduziu os alunos a uma reflexão sobre a criação e a reformulação das indústrias criativas nos nossos dias e sobre como a inovação e a criatividade são fundamentais nestas áreas.

Na segunda parte da sessão da manhã, Caterina Foá e Luíz Fernando da Silva apresentaram alguns detalhes sobre os projetos de investigação que estão a desenvolver. A investigadora do ISCTE-IUL apresentou uma comunicação intitulada “Crowdfunding for culture: people, networks and value creation”, centrada no sistema colaborativo de comunicação que caracteriza o crowfunding. Luíz Fernando da Silva, investigador do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, apresentou uma comunicação em torno do seu plano de investigação pós-doutoral intitulado “Globo and Netflix: the coexistence Between SVOD services in Brazil”, uma análise e reflexão sobre o futuro da Netflix e da Globo no Brasil, país que tem das mais altas percentagens de subscritores da Netflix.

A sessão da tarde ficou inteiramente a cargo de Jack Soifer, investigador e consultor internacional na área da comunicação. O tema que apresentou foi “Empreendedorismo nos Meios Digitais e Negócios Criativos”, uma comunicação em torno do passado, do presente e do futuro da comunicação e da publicidade, nomeadamente os seus papéis enquanto veículos para alcançar e garantir a satisfação pessoal dos públicos-alvos.

Segundo dia: as indústrias criativas e os media no centro da discussão

No segundo dia da edição de 2018 da CREIMA International School, e após a receção da professora da Universidade do Porto e membro do CIC.Digital – Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultural Digital, Manuela Pinto, que salientou os desafios que enfrentam as indústrias criativas, a primeira comunicação esteve a cargo do professor da Universidade de Varsóvia (Polónia), Michal Glowacki. “Creative and Media Industries Clusters” foi o tema em destaque, centrado na cultura organizacional e na relação entre os media e as indústria criativas, tema que tem vindo a trabalhar desde 2015.

“How to build media credibility and sustainable value in the post-truth era”, a segunda comunicação do dia, esteve a cargo do professor da Universidade de Navarra (Espanha), James Breiner, que destacou a busca dos utilizadores por informação verdadeira e identificou também quais as plataformas que correspondem a esta procura na atual era digital.

Durante a sessão da tarde, decorreu uma mesa redonda que contou com a presença dos especialistas já anteriormente mencionados – Paulo Faustino, João Palmeiro, Michal Glowacki e James Breiner -, aos quais se juntaram Maciej Soldan, especialista em economia de media e membro do Conselho da 3S Media e Steve Wildman, professor da Universidade Estadual do Michigan (Estados Unidos da América). No centro da discussão estiveram dois grandes temas: a sustentabilidade dos media e a regulação dos novos media. Dois assuntos que deram azo a conversas sobre, por exemplo, o tipo de regulação que deverá existir para que não se bloqueie a liberdade e sobre qual a forma mais democrática de olhar para os meios digitais.

Terceiro dia: os media no centro da discussão

A primeira comunicação do dia de encerramento da CREIMA 2018 foi realizada pelo professor da Universidade de Warwick (Reino Unido), Chris Bilton. “Rethinking the value chain: the new intermediaries and the disappearing product” foi o tema em destaque, uma intervenção em torno dos produtos e dos serviços criativos e dos desafios das indústrias criativas. Nesta comunicação, abordou também o impacto que as grandes empresas tecnológicas, como a Apple, a Amazon e o Facebook tiveram na vida dos artistas e dos sectores criativos da economia.

Numa perspetiva mais empresarial, Maciej Soldan regressou à CREIMA 2018 e trouxe consigo a comunicação “Entrepreneurship and media globalization from a central European view”, através da qual destacou, nomeadamente, os benefícios que o mundo digital trouxe ao consumidor, permitindo, por exemplo, um maior acesso a uma maior diversidade de programas e serviços.

Também Michal Glowacki voltou à CREIMA 2018. A segunda intervenção do especialista no curso deste ano teve como título “Public Service Media and Creative Media Clusters”, através da qual explicou porque razão precisamos dos media enquanto sociedade e quais as suas relações com os clusters das indústrias criativas.

Já na reta final da edição deste ano, a CREIMA International School recebeu o professor da Universidade de Amesterdão (Holanda), Mark Deuze, para a apresentação do livro “Making Media: Production, Practices, Professions”. Os desafios do jornalismo e as formas de mapear os desafios e erros cometidos pelos negócios e startups associados ao jornalismo foram dos grandes destaques desta intervenção.

“They seem like dirty words, but journalism entrepreneurs need to say them”, a segunda intervenção de James Breiner neste curso, fechou a edição de 2018 da CREIMA International School. Uma comunicação em torno das palavras “sujas” que os jornalistas precisam de dizer para sobreviver numa era tão desafiante, quer para o jornalismo tradicional, quer para as novas formas de jornalismo.

A CREIMA International School regressará em 2019. Todas as informações sobre esta formação internacional podem ser acompanhadas em www.immaa.org, em www.pimened.pt ou em www.facebook.com/IMMAAConference. Um resumo mais detalhado deste evento pode ser encontrado na próxima edição da JOCIS.

Comments are closed.